És Jesus, o Filho de Deus?

0

abril 14, 2013 by Bortolato

100_1175«Jesus… disse-lhe: – Crês tu no Filho de Deus?  Ele respondeu, e disse:  – Quem é Ele, Senhor, para que nEle creia?  E Jesus disse-lhe:  – Tu já o tens visto, e é aquele que fala contigo». (João 9:35-37)

«Então aquele discípulo a quem amava o Senhor disse a Pedro:  – É o Senhor!» (Joao 21:7).

Depois de uma noite toda de trabalho, com tudo dando errado, de repente surge Alguém que lhes sugere lançar as redes ali, bem ali, ao lado.

Muitas vezes saímos para a nossa lida, e lutamos, lutamos, e lutamos muito, para colhermos muito pouco ou nada!  Passamos por dificuldades, cansamo-nos e chegamos à exaustão.   Então clamamos pelo nome de Jesus, e Ele age, mostrando-nos indiretamente, sem revelar que é Ele mesmo, e de repente vemos a solução bem ao nosso lado!  À nossa frente, mostrando-se tão incrivelmente maravilhosa, ao nosso alcance.

Devido à gravidade de nossos problemas, veremos que só Deus pôde nos ajudar!   Com a bênção do livramento em nossas mãos, dizemos a nós mesmos: – «É o Senhor!»

É o Senhor, que surge em nosso caminho, revela a Sua bondade, e então olhamos para cima, e dizemos: – «É o Senhor!  É o Senhor!  É o Senhor! É Ele!  Ele chegou! Ele veio!  Ele Se lembrou de mim, lembrou de V.!  Ele não nos abandonou!   Ele está aqui!  Sinta a Sua Presença!  Que grande bênção!

A Sua graça é melhor do que a nossa vida!  Vamos desfrutar de Sua Presença graciosa!  É o Senhor!

Conheci várias pessoas que me disseram ter tido um encontro pessoal com Jesus.  Disseram-me tê-lo visto face a face.   Não eram pessoas alienadas mentais.  Não estavam loucas.  Não demonstravam o mínimo traço de loucura.   Eu as conheci com seu juízo perfeito.

Na verdade, quando de Seu ministério nesta terra, entre 29 a 33 D.C., em Israel, muitos foram os que o viram e tiveram suas vidas mudadas somente com a Sua proximidade.   Sua presença sempre traz paz e conforto para a alma que se debate em seus problemas, mas no fundo vive sequiosa de encontra-lo!   Alguém dirá: mas Ele já morreu!   Certamente, mas tão certo quanto morreu, Ele também já ressuscitou, e vive para sempre!   Ele ainda está operando nesta Terra, e continuará a fazê-lo o quanto queira, e ninguém há que o possa deter!

O caso do cego de nascença foi notório, pois que este jamais tinha visto a ninguém, durante toda a sua vida.  Jesus chegou, e aquela Presença cheia de amor e misericórdia, por certo que lhe foi notada, mesmo sem que alguém o possa ver com os olhos da carne.   Assim também o é na vida de muitos, que têm toda uma existência sem que possa perceber que Ele se aproxima, mas quando Ele vem se aproximando, todo o ambiente parece ter sido transformado, tudo muda!

Aquele homem cego pôde perceber algo diferente de tudo o que já havia sentido em toda a sua vida.   Dizem que os deficientes visuais têm uma sensibilidade muito grande, e embora não vejam, sentem as coisas ao seu derredor com muito mais acuidade.   Realmente, quando certo dia recebi um desses deficientes dentro de nossa sala, ele logo pôde perceber a amplitude da mesma – talvez usando de sua capacidade auditiva mais profunda, ou quiçá, de alguma outra forma que desconheçamos.  Achei aquilo espantoso, mas que ele percebeu, ele o percebeu.

Assim também, o cego de nascença que percebeu a Presença de Jesus, sentiu-O, e logo ao lavar-se no tanque de Siloé, começou a ver.

Muito embora tenha estado com Jesus, ele, entretanto, não tinha visto com seus olhos Quem o havia curado.   Mais tarde, ao encontra-lo, Jesus o indagou:

«-Crês tu no Filho de Deus?»

O já ex cego lhe responde: «- Quem é Ele, Senhor, para que nEle creia?»   Então Jesus Se revelou aos seus olhos, como o Filho de Deus, Aquele que lhe trouxe luz à sua vida.

Da mesma forma Pedro e João, no mar de Tiberíades, de repente perceberam que falavam com Jesus, já então ressuscitado.  Tão logo João percebeu que era Ele, disse a Pedro: – «É o Senhor!»   Foi aquela excelente surpresa, abençoada surpresa!

Jesus Se revela às pessoas de diversas maneiras.   Desde que Ele veio viver nesta Terra, aqui, Ele não cessou de revelar-Se a milhares e milhares de pessoas.  Na verdade, se fossem todas somadas, daria uma soma de milhões.   João até escreve que … «há, porém, ainda muitas coisas que Jesus fez; e se ainda uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter o que os livros que se escrevessem.  Amém» (João 21:25)

Há tantos testemunhos de pessoas que foram visitados pelo Senhor ressurreto, que nem se podem contar.

Vamos mencionar alguns poucos, apenas para que se deixe descoberta a marca que Jesus deixa quando Ele passa.

Vale lembrar o caso de um ex artista de cinema brasileiro, chamado Jece Valadão.  Era um homem ímpio.   Alguns de seus filmes denotavam que não tinha moral, e nem Deus, e consequentemente vivia sem temor de Deus.   Em suas falas perante o público, via-se claramente que, sem Deus em sua vida, achava-se o dono de seu nariz, e não se importava em mostrar-se uma pessoa polêmica, e sem respeito para com dogmas, igrejas, religiões, e especialmente para com as mulheres.   A sua reputação era a de um velho play boy, alguém que só pensava em seu prazer, um hedonista.

Conviveu com várias mulheres, teve seis casamentos, e dentre esses relacionamentos, teve um filho com a atriz Vera Gimenez.  Por isso, pagava uma boa pensão mensal àquela família que um dia havia formado e dela fez parte por certo tempo.   Às vezes atrasava o depósito, e então era uma discussão ameaçadora entre eles.

Um certo dia, aquela mulher lhe liga e lhe fala de uma maneira diferente: amável, dessa feita.   Ela disse-lhe que conheceu um pastor evangélico que fazia orações pelo telefone, e lhe passou gentilmente o número para Jece, e insistiu que ele ligasse àquele pastor, para receber uma oração.   Tal foi aquela insistência, com tanto jeito e carinho, que Ele então resolveu ligar.   Ao conseguir conversar com aquele pastor, começou a receber a oração por telefone.   Seu espirito, que estava muito preocupado com as contas a pagar, e com a escassez de recursos que ingressavam em seu caixa, de repente começou a sentir como que recebendo uma cachoeira de águas refrescantes, aliviando-lhe toda a tensão daquele momento.   Ao terminar-se a oração, Jece perguntou ao pastor: – «parece que cheguei a ver uma cachoeira muito linda, num dia de céu azul, alcançando-me.

Ele então fez aquela pergunta: – «É Jesus?»   O pastor respondeu-lhe que sim.

Jece então passou a crer em Jesus.  Viveu seus últimos dias desta terra como cristão, testemunhando sempre do Senhor de sua vida.   Assim ele se foi, desta para viver para sempre com Aquele Jesus, que um dia chegou a conhecer daquela forma tão especialmente feita para ele.

Quero também apresentar o testemunho de minha mãe, que hoje reside com o Senhor, para todo o sempre.   Era uma mulher atribulada pelas dificuldades da vida.  Muito teve de trabalhar, para poder vencer os desafios de sua vida.  Terminou de criar seus enteados, e criou os seus seis filhos, com muita dedicação.   Humildemente amargou várias situações difíceis, principalmente na área financeira, e por ter um filho viciado em drogas.  Um dia, alguém lhe falou, depois que ela já havia buscado alívio em várias religiões, sem poder encontrar a solução em nenhuma delas, que deveria buscar a Jesus somente, em suas orações, sem dirigir-se a nenhum espírito intermediário, e sem nenhum intermediário.

Foi um desafio que ela aceitou.   Como resultado, em uma certa madrugada, despertou em seu leito, e viu o Senhor Jesus dela se aproximando, por trás de um tipo de véu, uma cortina como que de tramas largas, por onde Ele deixou transpassar o brilho de Sua luz, e então uma grande e indizível alegria lhe veio dentro de sua alma, preenchendo o vazio de seu coração.

Ela nunca mais quis deixar de ter aquela alegria!   Era Jesus!  Que experiência mais marcante!   Ele passou a ser o grande guia, o seu Mestre, o seu Deus!  Ninguém mais lhe deu maior prazer!

Um outro dia mais tarde, ela cantava, expressando sua alma através da letra de um hino.   Cantava a Deus, dizendo:  – «Fala-me suavemente, fala com muito amor…  ouvir Tua voz eu quero, e nesse mesmo tom…»  Fazia suas tarefas domésticas do dia, mas fazia-as cantando.

E de repente, então, ouviu uma voz que lhe disse assim: – » V. quer me servir?»

Tão clara foi aquela voz, fazendo-lhe aquela pergunta, que ela virou-se para trás de si, para poder ver Quem lhe falava, mas não viu a ninguém, com seus olhos carnais, mas percebeu que era Ele, novamente.   E logo lhe respondeu: – «Sim».

Como deixar escapar tal oportunidade?  Não, jamais!   Ela passou a servi-lo, e isto lhe foi um privilégio muito grande.   Deu a Ele parte de seu tempo.  Pensou nas suas dificuldades, mas imediatamente o Senhor lhe falou novamente:  – «Darei um jeito».

Sua vida foi como então a de uma evangelista.  Levou várias pessoas a Jesus.  Hoje o seu nome está na glória do Senhor, e desfrutando do Seu Reino de amor.  Graças a Deus!

Que cada um de nós tenhamos o encontro em que possamos vê-lo, hoje mesmo, e nem precisemos fazer a pergunta que indaga se «és Jesus?» , mas a Sua presença faça a resposta parecer clara, muito evidente, e digamos como João falou no mar de Tiberíades: – «É o Senhor!»

Tenhamos um bom momento com Jesus, e uma vida eterna inteirinha com Ele, que deseja chamar a cada um de nós, e creiam, está já a nos chamar.   Atendamos ao Seu chamado!


0 comments

Sorry, comments are closed.

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho