VENDEDORES DE ÓLEO

0

junio 26, 2012 by Bortolato

“Então ouvi o que parecia uma voz entre os 4 seres viventes, dizendo:”Um quilo de trigo por um denário, e três quilos de ceada por um denário, e não danifique o azeite e o vinho”  (Apocalipse 6:6)
O Reino dos céus será, pois, semelhante a 10 virgens que pegaram suas candeias e saíram para encontrar-se com o noivo. Cinco delas eram insensatas, e 5 eram prudentes.   As insensatas pegaram suas candeias, mas não levaram óleo.   As prudentes, porém, levaram óleo em vasilhas,junto com suas candeias.   O noivo demorou a chegar, e todas ficaram com sono e adormeceram.    À meia noite, ouviu-se um grito:- “O noivo se aproxima!  Saiam para encontrá-lo!”    Então todas as virgens acordaram e prepararam suas candeias.   As insensatas disseram às prudentes:- “ Dêem-nos um pouco do seu óleo, pois as nossas candeias estão-se apagando.”
Elas responderam: – “Não, pois pode ser que não haja o suficiente para nós e para vocês.  Vão comprar óleo para vocês”. (Versão João F. Almeida contemporânea: – “Ide antes aos que o vendem, e comprai-o”).    E saindo elas para comprar o óleo, chegou o noivo.   As virgens que estavam preparadas entravam com Ele para o banquete nupcial.   E a porta foi fechada.   Mais tarde, chegaram também as outras virgens dizendo: – “Senhor, Senhor, abra a porta para nós!   Mas Ele respondeu:   A verdade é que não as conheço“.
(Mateus 25:1-12 Versão Internacional)
E falei, e disse ao anjo que falava comigo, dizendo:- “Senhor meu, que é isto?   Então o anjo que falava comigo respondeu, e me disse: – “Não sabes tu o que é isto?”  E eu disse: – “Não, Senhor meu”.  E respondeu e me falou, dizendo: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel, dizendo: “Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos (Zacarias 4:4-6 – versão ARC).
Falei mais, e disse-lhe:  Que são as duas oliveiras à direita do castiçal, e à sua esquerda?   E, falando outra vez, disse:  Que são aqueles dois raminhos de oliveira, que estão junto aos dois tubos de ouro, que vertem de si ouro?   E ele me respondeu, dizendo: – “Não sabes o que é isto?”   E eu disse: – “Não, Senhor meu”.   Então ele disse:   Estes são os dois filhos do óleo, que estão diante do Senhor de toda a terra. (Zacarias 4:11-14)
O ÓLEO DE OLIVAS:
O azeite é usado hoje em dia mais restritamente na culinária, mas ainda é usado nas paragens do Oriente Médio como um bom hidratante de pele.
Num clima desértico como o da Terra de Israel, os nossos cabelos tendem a se contrair, a se danificarem, e se queimarem quando expostos ao sol causticante, muito comum naquela região.
Após uma caminhada debaixo do calor e de um sol escaldante, a nossa pele deseja ser refrescada por algo que a hidrate.   O óleo de olivas faz isto.   É um elemento que atenua os climas insuportáveis deste mundo.
É por isso que o salmista escreveu o Sl. 133:  “É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Aarão, e que desce à orla de suas vestes”.
Mas o óleo também tem propriedades terapêuticas – tratando úlceras estomacais, e alguns outros tipos de óleo servem de antisséptico quando aplicados em feridas da pele.
Por esses motivos, os óleos representam bênçãos para nossos corpos físicos.
Além de serem bênçãos de uso tópico, os azeites também eram usados para alimentar chamas de fogo, usuais nas lamparinas, úteis para a iluminação.
O óleo de olivas era muito usado na culinária e o é até hoje.
Um outro uso destinado ao óleo é o da unção.   A unção com óleo foi ministrada no Antigo Testamento para formalizar materialmente um ato de natureza espiritual.
O Tabernáculo do deserto foi ungido com óleo.   Os utensílios do Tabernáculo também.   (o candelabro, a mesa dos pães, a arca do concerto, o altar do incenso), além do altar dos holocaustos, os quais, dali para diante, foram considerados objetos santos, separados para o serviço do Senhor.
Depois da unção do Tabernáculo, este foi consagrado ao Senhor, e passou a ser visitado para Presença de Deus.   Mais do que isto, passou a ser morada do Senhor.
Segundo a parábola, as virgens negligentes se dirigiram àquelas prudentes, pedindo-lhes um pouco do azeite do que estas tinham, mas àquela hora o noivo já estava a caminho do local das bodas, chegando para a Sua ceia.
Não seria, porém, mais o tempo de se compartilhar o óleo.   Era, então, tempo de ir ao encontro do Noivo, no meio das trevas da noite.   Aquelas que se tinham suprido suficientemente do óleo, puderam sair, com suas lamparinas acesas, puderam sair com seu caminho iluminado,  dando segurança aos seus passos para se encontrarem com o Noivo.
Quando interpeladas pelas virgens imprudentes, elas disseram aonde as demais poderiam encontrar o óleo – o que seria onde as mesmas prudentes o encontraram – com os vendedores de óleo.
Vendedores de óleo!…  Quem seriam esses ilustres personagens?  –  Eles venderam o óleo às virgens prudentes – mas estas se esmeraram para que o tal óleo não lhes faltasse, a tempo de encontrá-lo.
Esses senhores teriam de ser procurados ANTES da vinda do noivo, pois não?   Depois que o Noivo chegasse, seria muito tarde.
Está claro nesta parábola que Jesus é o noivo, e as virgens, a sua igreja.
Em outras palavras, esses que vendem o óleo, estão-nos dando condições para que estejamos preparados para a próxima Vinda de Jesus a esta terra, a Vinda do Filho do Homem.
Conforme a visão do profeta Zacarias, o óleo é o elemento que alimenta o fogo do candelabro, do castiçal do Templo do Senhor.   Este castiçal era um dos objetos que deviam ser constantemente verificados, a fim de sempre produzirem a chama que iluminava o compartimento do Templo que se chamava Lugar Santo.   Esta iluminava o caminho de acesso ao Lugar Santíssimo, onde todos reputavam estar ali a Santa Presença de Deus.   E de fato Deus esteve, por muito tempo, presente ali.   Como vemos, também ali no Templo, o óleo alimentava a chama que iluminava os passos daquele que vai ao encontro do Senhor.
Conforme aquilo que o anjo falou a Zacarias na visão do candelabro, este óleo é um símbolo que representa o Espírito Santo de Deus.
Este Óleo do Espírito tem poder miraculoso, e quando ministrado, faz muitas maravilhas.  À medida que se desprende o Seu poder, e pela maneira que o vemos ou o sentimos Sua manifestação, poderemos perceber quem o venderá.
I – O AZEITE DA UNÇÃO NOS TRAZ CURA
Quanto tempo as pessoas vivem se queixando de dores e de enfermidades, e queixando-se  que não encontram cura?    Pois sabemos que há doenças que realmente não são curáveis pela medicina ou através de remédios que se vendem em farmácias.
  Gastam-se verdadeiras fortunas com médicos e remédios hoje em dia, e nem assim nos é garantida uma cura plena para algumas doenças.
Quando, porém, o Espírito Santo de Deus é derramado sobre a vida de alguém, acontecem coisas impossíveis de acontecerem.
“Porque para Deus todas as coisas são possíveis – porque nada é impossível para Deus!”  (Lucas 1:37)    – palavra falada pelo anjo Gabriel a Maria.
A Palavra de Deus também nos fala em Tiago 5: 14-15:
Está entre vós alguém enfermo?   Chamem os presbíteros da igreja para orarem sobre ele, e o unjam com óleo, em nome do Senhor.   A oração da fé curará o doente, o Senhor o levantará,  e se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.”
Então a quem vemos como Vendedores de Óleo aqui?   –  os presbíteros da igreja do Senhor.    A oração da fé salvará o doente!   Que bom podermos contar com os presbíteros de Deus.   Eles trazem o óleo, fazem a oração da fé e nós somos curados.
Hoje é dia de assim procedermos.  Não deixemos para amanhã.    Quem assim crer, receberá a oração da fé, será curado, terá  seus pecados perdoados, e receberá o óleo do Espírito, i. e., o Espírito de Deus se aproximará dele e através dele, também de sua família.   Faça isto hoje, e receba mais uma graça de Deus.
Depois que Jesus voltar, aí vai ser tarde para se fazer isto.    Aproveite este dia para que seja curado.
II. O AZEITE DA UNÃO QUEBRA O JUGO!
Vivemos num mundo muito enganador!
Muitas coisas parecem ser, mas não são, e muitas que não parecem, o são.
Não percebemos quando uma pessoa aparece, cheia de promessas, prometendo até mesmo a paz, mas não podem prometer aquilo que não podem dar.   Prometem ser bons governadores, bons legisladores, bons maridos, bons patrões, bons empregados, mas só o tempo, e muitas vezes um bom tempo, é que revela quem realmente são.
Assim é que os pregadores do comunismo fizeram, mas em todos os países onde reinou o comunismo vemos um rastro de sangue,de dor, pobreza extrema, e angústias que erguem clamores que chegam até os céus.    Tolhem direitos, e a liberdade de se cultuar a Deus, de servirmos a Jesus, e perseguem cristãos de maneira muito severa, e não raro, criminosa.
Assim é  que o Reino  das Trevas age – com sutileza, engano, usurpam o poder, e quando detém o poder nas mãos, oprimem, aviltam, impõem um jugo muito duro, e as criaturas sofrem, o e povo geme.
Assim acontecia com o povo de Israel – deixava-se sublevar pelo pecado, abandonavam aos poucos a fé no Senhor que os retirou do Egito, e, quando se davam conta, um povo inimigo os dominava e oprimia – até que o Espírito de Deus vinha sobre alguém, como foi o caso de Otoniel, sobre Débora e Baraque, sobre Gideão, sobre Sansão, Samuel, Davi,  ungidos do Senhor, que receberam Seu Espírito – e foram impelidos a lutar pela libertação de seu povo, quebrando o jugo do inimigo.
Através de quem é que Davi recebeu a unção da parte do Senhor?   Do profeta Samuel.
Através de quem é que Jeú recebeu unção de Deus para quebrar o jugo de Baal de sobre Israel?  De um profeta, discípulo de Elias (II RS. 9:1-6).
Através de quem o apóstolo Paulo e Barnabé receberam unção de Deus para a obra missionária, que viria a fazer com que em Éfeso, os praticantes do ocultismo reuniram seus livros, queimaram-nos publicamente, livros cujo valor chegava aproximadamente a 50.000 diárias de um trabalhador braçal, e confessaram suas más obras, crendo em Jesus (Atos 19:18-20)?    Através dos profetas de Antioquia – Simeão NÍGER, Lúcio de Cirene, Manaém…
A unção com óleo marcou um momento de suas vidas.    Naqueles momentos marcantes, o Espírito de Deus se levantou e operou grandes livramentos das garras de Satanás.   Louvado seja Deus, que se lembrou de Seu povo, e enviou seus profetas para trazerem a unção com o Óleo que vem do Trono de Deus, para julgar e livrar o Seu povo, e quebrar o jugo do inimigo.
“Vindo o inimigo como uma torrente de águas contra ti, o Espírito do Senhor arvorará a Sua bandeira…”
Os profetas de Deus são verdadeiros vendedores do óleo do Espírito Santo.   Se o povo de Deus souber encontrar e ouvir os seus profetas, O Espírito Santo de Deus operará grandes livramentos.    Basta crer.
III. A UNÇÃO DO ESPÍRITO NOS ALEGRA!
Bom é podermos contar com o elemento físico – o óleo da unção.   Traz-nos cura e quebra o jugo do inimigo.
Mas mesmo sem que tenhamos o elemento físico do óleo, o azeite da unção, é muito bom também quando recebemos o Espírito Santo de Deus nos visitando nos nossos espíritos.
No livro de Atos dos Apóstolos, vimos que aqueles  120 que estavam reunidos ali no Cenáculo, no dia de Pentecoste, foram visitados diretamente pelo Senhor, sem necessidade de óleo ou de imposição de mãos.
Por que Deus operou assim?
Porque estavam ali reunidos em obediência à palavra de Jesus que lhes disse para permanecerem em Jerusalém, até que do alto recebessem a Promessa do Pai, que Ele lhes deixou em João 14:15.
Quando cumprida a promessa no dia de Pentecoste, os discípulos foram cheios do Espírito Santo e glorificaram a Deus em diversas línguas, de modo a causarem espanto entre os visitantes de Jerusalém.  (Atos 2:1-13).  Depois, aquela unção maravilhosa veio também sobre os discípulos em Samaria (At. 8:17), depois em Cesaréia (At. 10:44), depois em Éfeso (19:6), e o Espírito de Deus continua a ser derramado por toda a Terra, até os confins da Terra, conforme nos disse a promessa de Jesus.
Em cada uma dessas ocasiões, o povo viu a alegria, o louvor, e o estado abençoado em que se encontravam os discípulos do Senhor.     Aquela alegria encantou o mundo.     Aqueles discípulos, na verdade, esguicharam o Óleo do Senhor para todo o lado, levando a quebra de jugos, e a alegria do Senhor.
Perguntamos agora: quem eram os 120 reunidos no cenáculo?  Alguns eram apóstolos.   Outros, apenas e simplesmente discípulos – mas homens e mulheres de Deus que, reunidos, invocavam a presença do Senhor, e Jesus, conforme Sua promessa, ali estava em seu meio, e o estará até a consumação dos séculos.
Diremos então que os apóstolos, e quem mais estivesse reunido no mesmo espírito com aqueles, formavam e formam um ambiente propício à manifestação do Espírito Santo, de modo que o Espírito lhes distribui dos seus mais variados dons, a quem Ele os quer dar, e flui através de quem Ele o queira usar.   Posso ser eu um, ou você, um vendedor abençoado de azeite, o Azeite da Unção de Deus!
Que então devemos fazer?  Vamos encher nossas candeias uns dos outros, vamos mandar o óleo santo do Senhor sobre suas vidas, até chegar o dia da vinda do Senhor.
EPÍLOGO
Mas como posso comprar esse Óleo que vem do Trono de Deus?
Qual é o preço, e qual a moeda de troca?
Disse-nos o Profeta Isaías (55:1):
“Ó vós todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai, e comei, sim, vinde comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite”.
Como podemos ver, Deus não está interessado tanto no valor monetário, quanto está interessado em que nós venhamos, e compremos.  Não se importe com o preço.   O que importa é que vamos ganhar, vamos receber muito mais do que aquilo que nos possa representar algum custo.
Custa, sim, a nossa vida velha;   o preço de custo é abrir o coração para que a alegria do Senhor penetre em nós e preencha todos os espaços que antes eram ocupados pelo pecado, pela tristeza, pela miséria e pobreza espiritual, pelas nossas limitações, nossos traumas, nossa estreiteza de mente, nossas manias, nossas tradições sem real conteúdo espiritual, para nos dar tudo aquilo que sempre quisemos ter, e nem nós mesmos o sabíamos.
Em outras palavras, é preciso ter fé para receber tudo isso.
V. quer?   –   Pare tudo, e receba.

0 comments

Sorry, comments are closed.

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho