A BÍBLIA SOB ATAQUES (IX)

0

agosto 9, 2012 by Bortolato

 

O APOCALIPSE E O JUÍZO FINAL

 

 

                  O livro de Apocalipse e a Escatologia têm sido alvo de muitas e diversas interpretações, tendo em vista que tal matéria foi escrita originalmente em uma linguagem que fez uso de algumas figuras, metáforas, e símbolos.    Essas diversas interpretações levam pessoas a escolher muitos caminhos, e, logicamente, muitos deles errôneos. 

                  A Bíblia por si só já sofre muitos ataques.  Seus dizeres atinentes à Escatologia, então, muito mais, dependendo da linha filosófica que tais críticos seguem. 

                  Devido ao caráter específico desta matéria, e a enorme quantidade de formas de interpretação nesta área, achamos por bem não nos determos em alguma ou algumas destas.    

                  Assim sendo, passaremos a descrever a maneira mais saudável que entendemos, para melhor compreendermos o teor de Apocalipse e da Escatologia.   Para maiores informações, recomendamos nosso trabalho que leva em seu título estes dois maravilhosos temas.

                  O final dos tempos nos trará acontecimentos muito terríveis, pois trará a esta Terra o desfecho final da guerra entre o Reino da Luz e o das Trevas, em outras palavras, entre Deus e Lúcifer.

                  Esse período é denominado por muitos de “fim do mundo”.

                  A rigor, porém, a revelação do Livro de Apocalipse não nos diz que este mundo será totalmente destruído como que implodindo, ou explodindo, e nem a raça humana será totalmente extinta.

                   O mundo estará, sim, diante de acontecimentos catastróficos, porém, de proporções jamais vistas, inéditas, em que grandes extensões da Terra serão destruídas, e, juntamente com estas, os seres que lhes habitam também serão atingidos pelos cataclismos profetizados no livro de Apocalipse, inclusive os seres humanos.

                  A Bíblia, especificamente no livro profético de Apocalipse, promete que serão soltos quatro cavalos, montados por quatro cavaleiros (Apoc. capítulo 6º), assim que feita a abertura do primeiro selo, dos selos que lacraram o rolo do livro ali apontado.   A cada selo quebrado e rolo aberto, coisas fantásticas acontecerão no céu, isto é, no terceiro céu, em razão de os mártires da glória clamarem ao Deus Todo Poderoso por Sua intercessão e por Seus justos juízos.

                  Sete anjos tocarão sete trombetas, e, a cada trombeta, drásticos acontecimentos se precipitarão sobre a Terra: saraiva, vapor, fogo, sangue, precipitação de um meteoro no mar, culminando com a morte de um terço das criaturas que haverá no mar.    Depois, outro meteoro cai sobre um terço das águas doces de nosso planeta, contaminando essas águas.  

                  O Sol se escurecerá.

                  Praga de gafanhotos exóticos comerá a terça parte da produção e da verdura dos campos.

                  Quatro anjos que estavam presos junto ao rio Eufrates serão soltos e sairão fazendo estragos.

                  Satanás terá obtido grande domínio sobe esta Terra, e tentará usar o reino da Besta (governante mundial ou semimundial) que deflagrará forte perseguição a cristãos.   Isto trará maior ira de Deus sobre este mundo, que entrará em convulsão.   O excesso de pragas fará o povo perceber que algo estranho e novo estará acontecendo.

                  Sete selos, sete trombetas, e sete taças da ira de Deus trarão, pois, grande destruição ao planeta.   Isso prejudicará em muito o atual sistema ecológico, que deverá ser substituído por outro.   Muitos homens morrerão, animais, muita flora será devastada e, comitantemente até, alterações drásticas do mapa geográfico desta terra e do mapa astronômico do Universo (Apoc. 21:1), ao ponto de ilhas e estrelas se moverem, e não mais haver grandes oceanos, aos quais denominamos atualmente de “o mar”.

                  Esta terra, como hoje a conhecemos, mudará completamente após os juízos de Deus a serem aqui derramados.   Não será jamais a mesma.   Cremos que nenhuma semelhança haverá para se trazer à memória esta antiga Terra, exceto por alguns sinais arqueológicos, os quais servirão de testemunhas mudas do que então já terá acontecido.

                  Dizer que isso tudo já estaria acontecendo, ainda é muito cedo.   Diremos que apenas uma “pequena ponta do iceberg” está emergindo à tona, avisando que o “grosso” está encoberto aos nossos olhos por ora, mas tão logo chegue o tempo certo, todos poderão ver, observar, e sentir os cataclismos e desastres iminentes que até lá terão acontecido.

                  Dizer, porém, que Jesus, o Filho do Homem, está longe de voltar, isso também é querer sobrepor-se à sabedoria divina de Cristo.  Ele mesmo foi quem falou que daquele dia e hora, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho do Homem, mas unicamente o Pai (notar que o Filho é mencionado no singular – pois que não há outro, para que houvesse menção de “os Filhos”.   Só existe UM Filho de Deus, que é o mesmo “Filho do Homem”, pois ninguém é a Ele comparável ou estaria no mesmo nível divino de Cristo), conforme Mateus 24:36 e Marcos 13:32.   Através do processo divino de adoção, todos nós podemos também ser chamados de “filhos de Deus” (filhos com incial minúscula, o que contrasta com o Unigênito Filho de Deus – Jesus de Nazaré).

                  Concluímos, pois, que a hora e o dia da Sua vinda, e do final dos tempos desta Terra é um mistério propositalmente assim colocado pelo Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, a fim de que todos vigiem, pois a iminência se sobrepõe aos sinais precursores daquele advento.    Ele, Deus, tem nas mãos a chave para dar o “start” dos acontecimentos narrados profeticamente no livro de Apocalipse – e pode, num estalar de dedos, fazer tudo desencadear-se e desabar-se sobre esta Terra.

                  Quanto ao Juízo Final, entretanto, temos que notar, este aponta para a parte final do livro de Apocalipse, e diz respeito principalmente aos que aqui viveram e terão morrido até lá (Apocalipse 20:11-15).

                  Haverá, então, para o futuro, duas ressurreições dos mortos.

                  Apocalipse 20:4 mostra-nos a primeira delas.  Será um momento de glória para os fiéis e separados para viver com a Trindade divina para sempre.  

                   Apocalipse 20:5 marca também a segunda ressurreição.   Não podemos demarcar ou julgar os que ficarão para esta segunda, pois que haverá quem os julgue, mas é certo que, se uns ressuscitarão para a vida eterna, outros ressurgirão para a vergonha eterna.

                  Na verdade, não somente os que não fazem bom uso de seus talentos devem temer o Juízo Final.   Além destes, há também os incrédulos, os medrosos, os abomináveis, os homicidas, os adúlteros, os feiticeiros, os idólatras e todos os mentirosos, os quais terão que gemer no lago de fogo e enxofre – e esta é a segunda morte (veja-se bem: não há um número “n” de mortes para ocorrer, como querem alguns, mas há somente duas: a primeira, que é a física; e esta segunda, espiritual e eterna, que é aquela que acontecerá a parte daqueles que ressuscitarem na segunda ressurreição. Sobrevirá para aqueles que não resistirão ao julgamento que sofrerão).


0 comments

Sorry, comments are closed.

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho