O QUE O SENHOR PEDE DE NÓS

0

julio 10, 2012 by Bortolato

Qual é o caminho de Deus

“E agora, ó Israel, que é que o Senhor lhe pede, senão que TEMAS o Senhor, o seu Deu, que ANDES em todos os seus caminhos, que AMES o Senhor, o seu Deus de todo o coração e de toda a alma, e que OBEDEÇA aos mandamentos e aos decretos do Senhor, que hoje lhe dou para o seu próprio bem?”   (Deuteronômio 10:12, 13)

Para termos um bom convívio com Deus, precisamos todos os dias ser mudados pelo Seu Espírito Santo.

Diria alguém: – mas porque não posso ser eu mesmo?   Não foi Ele que me fez assim?  Com essa minha personalidade, com esse meu perfil, meu temperamento?    Por que afinal devo ser mudado, se tenho a minha própria natureza – e esta minha natureza não foi Ele mesmo que a criou?

Então alguns gostam de chuchu, outros gostam de hortaliças, outros de doce, outros de salgados, outros de carne de peixe, e há quem ame ser convidado para um churrasco.   Até aí, parece tudo normal, não?

Quanto, porém, vemos alguém gostar de cerveja, de caipirinha, de baladas e dos prazeres vários que o mundo oferece – até mesmo de drogas – então logo fica muito claro que a natureza humana é carnal, isto é, gosta de satisfazer a carne, que tem um amplo apetite.   Basta notar que essas coisas da carne são insaciáveis.   Quanto mais se tem, mais se quer, e , levadas às últimas conseqüências, roubam a paz, levam a loucuras e quando não matam, destroem muito do que poderia bem ter sido uma vida feliz com Jesus.

Se voltarmos as páginas da real história da humanidade lá atrás, o que vamos descobrir é que Deus criou o homem e a mulher sem nenhum pecado, erro ou defeito.   Tudo o que Deus faz é prefeito, não tem defeito de fabricação e nunca precisaria de assistência técnica de reparos, não fosse o outro lado da moeda.

Houve um dia em que o pecado entrou em nossa raça, e daí para cá, as coisas têm sido diferentes daquilo que Deus tinha projetado e preparado para nós.    O pecado se apegou às almas, e penetrou nelas como um vírus penetra furtivamente em um corpo, causando danos e destruição.

Houve momentos em que quase a totalidade da raça se corrompeu sobre a terra, e fez coisas hediondas, bárbaras, e isso redundou que Deus não gostou nada daquilo que estava acontecendo.   Muito sexo ilícito, e muita violência.   Crianças sendo usadas como sacrifício de louvor a satanás, o inimigo de Deus, que se travestiu de deuses diversos, exigindo que as pessoas fizessem coisas macabras para agradá-lo.

O pior de tudo é que os homens não o negaram, e passaram a ser dominados pelo príncipe deste mundo.     Percebem como foi que um simples pecado de Adão foi rolando sobre mais pecado, até que se acumulasse tudo como uma bola de neve, de forma que o homem passou, muitas vezes, a se parecer com mais com satanás, do que com Quem o criou e lhe deu uma natureza outrora perfeita.     A balança da justiça, quando colocada nas mãos de homens, se enferrujou e propendeu para o lado do anjo corruptor.

Deus se desgostou demais daquilo.   Sentiu-se mais ou menos como um Pai quando observa que seus filhos, que Ele criou com muito amor, começassem a se odiar uns aos outros e cometer fraticídios.    Ou, colocando-nos sob a ótica dos filhos que testemunham que seus pais são traficantes de drogas, e que se detestam ao ponto de matar um ao outro.    Um cônjuge é morto, enquanto o outro é preso e os filhos ficam sem pai e nem mãe.  Uma relação que deveria traduzir um profundo amor, torna-se estigma do contrário da ordem que Deus estabeleceu.

Amigos, não sou profeta da desgraça – quem ouve, lê ou assiste aos jornais, inevitavelmente constatará que isso realmente acontece neste mundo, faz bem tempo, e é também atual.

Esta descrição é bem aquilo que se via nos tempos de Noé, e por isso é que Deus mandou o Dilúvio, instrumento que Ele usou para acabar com a devassidão, mas  veja se não é o que se ouve por aí nos jornais.

As pessoas fizeram essas coisas, seguindo o curso natural daquilo que elas mesmas acham que faz parte de sua natureza.

Infelizmente, esta é que é a natureza humana hoje – corrompida pelo pecado – e isso não foi Deus que o fez.

Olhem para a parábola do joio e do trigo.   Deus planou o trigo, e o seu inimigo foi à noite e plantou o joio no mesmo lugar, bem ao lado da semente que Deus plantou.

Isso, porém, não ficará assim para sempre.   Quando a safra estiver bem madura, virão os anjos ceifeiros e ceifarão a todos, colhendo o trigo, separando-o e guardando-o,  e lançando o joio no fogo para ser queimado.  O fim vem para todos, e os juízos de Deus não falharão.   Digo ainda mais: não tardarão.     O dilúvio foi somente uma amostra do que acontecerá em breve com esta terra.    É terrível?   Certamente.

Qual será então a nossa esperança neste processo terrível de degeneração, depuração e recuperação da ordem e dos valores que Deus criou?

A nossa única esperança tem um nome maravilhoso e se chama JESUS.   Ele veio fazer somente o bem e destruir as obras do diabo.

Será que queremos mesmo vê-lo destruir o mal?   Ele de fato destrói as enfermidades, os vícios, as dores Ele levou sobre si na cruz.     Isso tudo é muito bom, mas como Ele trata com a nossa rebeldia, a nossa displicência, pecados que se repetem com constância.     Sabemos que Ele disciplina com amor hoje, mas num breve porvir, o fará com vara de ferro.    Estamos prontos e dispostos?

 

 

O SENHOR PEDE TEMOR:

 

 

Esse temor parece aterrorizar alguns cristãos, porque tem o mesmo tom de um chicote cortante para estes.   Essa idéia de Deus, porém, não é perfeita.   Deus se ira, sim, porque Ele não suporta a iniqüidade – esta lhe chega às narinas como se fora um gás lacrimogênio, ardendo e ardendo muito, e fazendo os olhos de Deus chorar sem parar.   O coração de Deus, entretanto, sempre se inclina e ama àqueles que se arrependem verdadeiramente de seus pecados.

Esse temor não é o mesmo que medo.    O medo é um dos produtos do pecado,  e ele só se faz presente quando o mal está perto, mas a Palavra de Jesus nos diz para não temermos a quem nos possa fazer o mal:

 

“E digo-vos, amigos meus: Não temais os que matam o corpo, e depois não têm mais o que fazer.  Mas Eu vos mostrarei a quem deveis temer; temei àquele que, depois de matar, tem o poder para lançar no Inferno, sim, vos digo, a esse temei.”

(Lucas 12: 5)

Certamente, o único que tem o poder de lançar no Inferno, onde o fogo não se apaga e o bicho não morre, não é o inimigo, mas o próprio Deus.

E esse temor, portanto, não é medo, porque Deus é amor, e o perfeito amor lança fora todo o medo.     Logo, quem teme a Deus não tem nenhuma necessidade de sentir medo.

 

Devemos nós então temer a nossos pais?   Sim.  Devemos ter medo deles?   Não.    Eles são instrumentos de Deus para nossa educação.   Se tivermos medo deles, a quem iremos confiar nossa infância, educação e cuidados com alimentação e saúde?   E vestuário?

Nossos pais, entretanto, foram colocados em nossas vidas para nosso bem, e a eles devemos todo o nosso respeito e reverência.   Respeite seus pais, reverencie-os e honre-os.   É o primeiro mandamento com promessa de bênçãos para quem o cumpre.    Podem nossos pais não ter sido muito bons para alguns poucos de nós, sem dúvida.    Podem não ter cumprido todo o dever de pais para com uns poucos, mas nossos pais são à imagem e semelhança de Deus, e Deus lhes deu unção e autoridade para que pudessem nos dar uma formação para enfrentarmos a vida.   Tenham feito bem ou mal, eles estão na posição que Deus os colocou, e quando os reverenciamos, estamos honrando a Deus que projetou a família para nossas vidas – esta atitude agrada a Deus.

Nossos pais são bênçãos que Deus colocou em nosso caminho.   Abençoe-os, e eles se tornarão mais abençoadores ainda.

Assim, reverencie, respeite e honre a Deus.   Ele merece.   Se ninguém merecesse isto nesta terra, há um só Deus digno de glória e de honra.   A Ele todo o louvor.

 

 

ELE PEDE PARA ANDARMOS COM ELE:

 

Como andar com Deus?    De que modo posso eu agradá-lo?

Não poderão duas pessoas andar juntas, se não estiverem de acordo.

Podemos não compreender todos os passos que devemos dar para estar junto ao Senhor, mas podemos começar pelo começo.

Começar pelo começo é procurar saber quais os caminhos em que pisamos que o desagradam, e passarmos a não pisar mais ali.

Ele vai começar a mostrar, primeiro os pecados mais evidentes, os mais crassos, e revelar que estes devem ser abandonados.

Será que Jesus pode entrar em seu quarto de dormir, na sua cama, na sua sala de trabalho, nos ambientes de todos os lugaresem que V.vai?

Ele não nos acompanhará de perto nos nossos erros.   Ele poderá ficar por perto, esperando o nosso arrependimento, e se alegrará quando desligamos a TV quando esta não O glorifica, quando esta mostra os esquemas sujos deste mundo.

Em determinado momento, se deixarmos o pecado de lado, ele nos levará à presença das pessoas que nos ofenderam e nos magoaram, saba para quê?   Para que as perdoemos – e se não perdoarmos a quem Ele nos mostrar, também não seremos perdoados por Deus dos nossos pecados.

 

O Senhor, de outro lado, nos leva para até a cruz.

A cruz é lugar de sofrimento.   Quem segue a Jesus jamais deve pensar que a vida é um “oba-oba”.   Alguns passos são penosos, e não há outro remédio.   Quem quiser seguir a Jesus, sofrerá perseguições.   Não esperem colher somente flores nesse caminho.   Se a sua idéia é que é só de bêçãos, maravilhas e alegrias, V. está enganado.    Não se deixe enganar.    A cruz de Jesus,  Ele a levou por nós, e por isso nós fomos salvos – mas cada um de nós tem uma cruz para ser carregada, um peso a suportar, creiam, muito menor e diferente do que foi a cruz do Senhor, e ninguém pode fazê-lo em nosso lugar, senão nós mesmos.

 

ILUSTRAÇÃO:

É oportuno lembrar da experiência que teve o já promovido à glória, Pastor Richard Wurmbrandt.   Ele ganhou uma bíblia quando estava internado em um sanatório, tratando de uma tuberculose.   Começou a lê-la, e a cada página que lia, eram mais lágrimas que rolavam e caíam devido ao mover do Espírito Santo de Deus naquela leitura.     Ele tinha sido um verdadeiro playboy da antiga Romênia.    Mentindo, trapaceando, ultrajando quem o conhecia, sua vida tinha um alvo: o viver pelo prazer.    Depois de um tempo lendo o Livro Santo, ele percebeu inesperadamente uma visita.    Não via com os olhos da carne, mas percebeu Alguém muito santo aproximar-se de seu quarto, e parar à pouca distância.    Resolveu então perguntar:

– “Jesus?”

Pensou um pouco, e começou a falar ao Senhor Jesus:

– “Tu nunca me terás como teu discípulo.   O teu caminho é o da cruz, da dor, do sofrer até o da vergonha.    O meu é o do prazer,  o que eu quero é o dinheiro, viajar, e gozar.   Já sofri o bastante.   Não te seguirei.”

Jesus lhe respondeu:  – “ Venha comigo por este caminho.   Não tema a cruz.   Você verá que isto será o seu maior gozo, a maior alegria”.

Num pequeno lapso de tempo, ele percebeu que ele estava preso a uma vida suja, e Jesus se lhe mostrara tão puro.   A natureza de Jesus, tão altruísta, comparado com a sua, tão egoísta, voraz e cobiçosa.   Jesus, tão cheio de amor, mas ele, Richard, cheio de rancor.

Jesus, todo cheio de sabedoria e veracidade.    Richard então começou a ver as suas supostas certezas se desmoronarem, e concluiu: “Se eu tivesse a mente que Ele tem, poderia estar bem firme nas suas conclusões”.

Caíram os alicerces da falsa paz.

Ao Pastor Richard ir ao encontro de Jesus, foi como um homem que caminhava pelo deserto escaldante de calor, e nele encontrou a sombra de um carvalho.    Dizia a si mesmo:   “Que felicidade a minha de poder encontrar-Te”

Jesus, tal e qual aquele carvalho, não foi encontrá-lo, mas estava esperando por ele ali, no mesmo lugar, durante centenas de anos e anos a fio.

Disse Jesus aos Seus discípulos:  Vinde após mim, …

  • … todos vós que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei.    Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para vossas almas; porque o meu jugo é suave e meu fardo é leve (Mateus 11:28).
  • … e vos farei pescadores de homens. (Mateus 4:19).

 

 

 

O SENHOR PEDE: AMA-ME!

 

 

Por que amar a Deus?   Há uma lista enorme de motivos.   Não haverá tempo para falar sobre todos eles.

Amar a Deus.  Que bênção é amar a Deus!

Você conhecia o versículo que diz que “todas as coisas concorrem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados para o seu propósito?” (Romanos 8:28)

Se boas coisas nos acontecem, creia-me, foi o Senhor que as colocou em seu caminho.

Se o mal nos vem, existe um pêndulo que desce dos ares até a terra, e que balança de um lado para o outro, levando-nos a provar, ora o bem, ora o mal.

Se é verdade que não podemos deixar de provar o amargor do mal, conseqüência de nossos pecados e até de nossos ancestrais, a verdade maior é que Deus faz que o mal seja limitado na sua força, para este ter de retroceder  quando chegar ao ponto em que não podemos mais suportar.    Você não suporta mais a sua provação?   Está no limite?   Então dê glórias a Deus, porque o escape está próximo.   É hora do amor de Deus puxá-lo para Si, livrando-o, se Você ama a este verdadeiro Deus.

Por que amar a Deus?   Podemos enumerar algumas razões:

  • Porque Ele nos deu vida – dom maravilhoso, cheio de oportunidades para as aproveitarmos, vivermos de acordo com Jesus, e sermos felizes.
  • Porque Ele nos deu o ar para respirarmos;
  • o alimento que sacia a nossa fome, e nos nutre;
  • Ele nos deu a água para bebermos
  • Ele nos deu a família para nela nos abrigarmos e nos ampararmos.
  • Mais do que tudo isso, Ele nos deu o Seu próprio Filho para morrer a nossa devida morte, e o fez em nosso lugar – e a morte de Seu Filho não foi motivo para Ele se irar, mas sim, para nos amar, nos perdoar e ainda nos dar um lugar ao Seu lado para nos encher os corações de esperança.
  • Nós podemos ter a certeza de que se o amarmos, estaremos amando Àquele que nos amou primeiro, conquistando o nosso amor.

 

Você faria isto por alguém que pecasse contra a sua pessoa?  Deus o fez.   Ele nos amou primeiro.

Amar a Deus é sempre uma decisão provocada pelo amor de Deus.

Amemos a Cristo, Ele merece muito mais.

 

 

 

ELE PEDE OBEDIÊNCIA:

 

Para o nosso próprio benefício e proveito.

Todos que quiseram se rebelar contra as suas palavras pagaram alto preço por isto.   Não porque Ele os castigou, mas porque Ele é a nossa maior bênção.

Quando Deus nos diz para fazermos algo, pode obedecer porque aí vêm bênçãos.

Não queira desobedecer, ficar longe da bênção do Senhor, e desejar colher aquilo que V. não semeou.    Se Você semeou a desobediência, fique certo disto:  desencadeou sobre você mesmo o fruto da sua desobediência

A desobediência é uma sutil forma de rebeldia.   Rebeldia é tão detestável para Deus, o tanto quanto o é o pecado da feitiçaria.   É uma declaração de independência de Deus, um afastamento dos santos propósitos para sua vida, o que traz conseqüências desagradáveis.

Por que alguns são tão felizes em tudo o que fazem e eu…?

Você quer ter sucesso em sua vida espiritual?    Obedeça a Deus em tudo o que Ele diz.     Se você puder obter esta graça, verá que Ele é o Deus que recompensa a obediência.

Como posso saber o que Deus quer em cada decisão a ser tomada, a fim de que eu possa obedecê-Lo?

Primeiramente, existe a Bíblia, para a lermos, e nos inteirarmos da Sua santa e bendita vontade.

Em segundo lugar, existe o Espírito Santo que habita dentro de cada crenteem Cristo.    Apromessa de Jesus é a de que o Santo Espírito nos guiará a toda a verdade.     A Bíblia não diz qual é o tipo de shampoo, sabão, sabonete, pasta dental, ou qualquer utensílio doméstico que devo comprar no supermercado.    Não diz também se o terreno do bairro vizinho é para ser comprado ou não, nem o carro que você viu anunciado em algum veículo de propaganda.  Você já experimentou orar a Deus submetido à Sua voz ou ao Seu impulso?   Obedeça-O confiadamente, e logo você verá por que lhe foi dada essa direção.

A obediência, no final, é uma prova de amor do discípulo que dedica o seu coração para o seu Mestre.

“Se me amais, obedecereis aos meus mandamentos”. (João 14:15)

Eis aí o caminho.

Andemos nele.

Deus não poupará bênçãos aos que, de coração inteiro, andar conforme o seu agrado.


0 comments

Sorry, comments are closed.

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho