RSS Feed

SALMOS – CII – PETIÇÃO AO SUPREMO

Comentarios desactivados en SALMOS – CII – PETIÇÃO AO SUPREMO

noviembre 10, 2022 by Bortolato

salmo 102

A quem poderemos recorrer quando as instituições falharem e ficarmos órfãos de pai e mãe?

Haveria alguém que pudesse nos ajudar?

Como há situações nesta vida em que nos abrimos de todos os lados, e quando envelhecemos sempre, mas não temos ninguém para nos apoiar, para ser um verdadeiro amigo…

Paira a dúvida é de fato ou vamos encontrar.

Se não pudermos fazer nada, não se preocupe. Ainda tem um recurso. Existem dois tribunais superiores de magistratura no país, mas não o Supremo Tribunal do Céu, juntamente com o Supremo Juiz dos Vidos e Mortos.

Ah, se não morrermos, esse mundo se transformaria totalmente em trevas, tristeza sem fim, opressão, angústia e tristeza.

Na verdade, para alguns não há mais esperanças, mas Ele ainda atende às nossas orações, e para Ele ou impossível é uma palavra que não impede de agir. Todas as coisas Lhe são possíveis. Ele é Deus, e Deus é Deus, com Ele tudo édiferente. Ponto.

Passemos primeiro pela História Universal, onde encontraremos acontecimentos narrados que iluminam nossa visão do presente e do futuro.

Quem poderia salvar Moscou da invasão nazista em junho de 1941, quando quatro mil alemães e soldados invadiram 2.900 quilômetros do território russo ocidental. Aqueles exércitos invasores que antes pareciam aliados a dois russos, de repente se voltaram contra aquelas pessoas que sofreram em outros tempos.

Ou ele avançou inimimigo imprimia uma marcha fatal, deixando um rastro de muito sangue atrás dele. Hitler havia calculado tudo: munição, armas, veículos, logística etc., e tudo estava correndo de acordo com seus planos para os dois angustiados russos.

Humanamente falando, o que poderia impedi-lo? As tropas alemãs já haviam invadido a Polônia, a França, e ninguém poderia detê-las. Parecíamos um rolo compressor marchando contra vidas que nada tinham a ver com aquele conflito. É sempre assim em uma guerra, os inocentes acabam pagando o cabelo do pecador, e os dois pequeninos quando os grandes não têm piedade.

Os nazistas chegaram a uma distância de dois quarenta quilômetros da cidade de Moscou, limpando bombas e fogo pelo caminho, quando um fator mudou todo aquele quadro sinistro para aquele país invadido.

O fogo foi cruzado, mas os russos não conseguiram derrotar aquela máquina de matar nazista.

Então uma massa polar chegou com toda a força daquela região. Os soldados alemães começaram a sofrer com problemas de saúde, entre eles, uma epidemia de diarreia que os obrigou a acordar parcialmente com muita perseverança, para poder evacuar, e isso os deixou mais vulneráveis ??devido ao frio intenso, fator avassalador.

Houve muitas perdas de ambos os lados, mas as tropas alemãs ficaram enfraquecidas, vulneráveis ??e tiveram que se recuperar, e assim falharam naquela missão que teve que ser abortada.

Estas alterações climáticas são por vezes imprevisíveis. Não era a estação em si para ser pega por uma onda de frio, mas ela estava completamente doente.

Por que Deus fez assim aquela guerra? Antes de tudo, porque esta é a ordem das coisas. Aquela região é por natureza predominantemente fria, e sujeita a alterações climáticas drásticas e repentinas… mas acreditamos que o principal motivo para a infelicidade acontecer foi outro.

Foram muitos os clamores que e invejavam, que se aproximavam de bombar… o Céu! Eu disse que Deus moveu um dedo, e aquela invasão foi frustrada e abandonada.

Veja também a História de Israel, que pessoas que não eram maiores que a população de uma metrópole como Belo Horizonte… sofreram muito e escaparam em uma situação sombria por inúmeras vezes.

Deus nos permitiu ter problemas, porque éramos muitas vezes do terno amor de Senhor, eles O deprezaram, e Ele alvos nos deixou para ir para o seu próprio lote. Quando, porem, sofrendo muito, aflitos, gritarão de onde teriam caído, e quem ainda poderá valer-se.

Eles se sentiram compelidos pela fé a buscar Aquele que tinha tudo ou poder para salvá-los. Inúmeras vezes aconteceu assim. Os livros sagrados do Êxodo, Números, Juízes, I e II Samuel, I e II Reis e I e II Macabeus nos contam parte de sua história.

Aliás, o livro de Salmos nos oferece um cardápio de várias orações em tempos de aflição, como modelos criados em momentos semelhantes aos atuais, para nosso conhecimento, e uso em dias de grande necessidade.

Um desses Salmos é o número 102.

Pedimos a Deus as coisas que o mundo, nós homens, e as circunstâncias nos dizem “não”, porque Ele é a última instância de julgamentos que podemos passar, e em cima de Ele não fazemos mais nada.

Por esta razão, é da maior importância que Ele seja favorável a nós.

O salmista aqui se queixa primeiro de seu estado de saúde. As doenças realmente nos fazem sentir o quão vulneráveis ??somos. Há pessoas que nos enfrentam desde a infância, e outras são agredidas por quem não passa pela luta de outras fases da vida.

Ele reclama de ossos que «queimam como fogo» (versículo 3). Perdi o apetite (versículo 4), realmente cresci (versículo 5) e nunca parei de gemer.

Para irritar um pouco mais, ainda vemos inimigos, insultando-ou zombando de seu estado de fragilidade.

Ele no tinha um juiz sequer para facilitar-lo de fato, fazendo a balança da justiça atendendo ao seu lado. Você julgou que estávamos ao alcance de pertencer ao inimigo de Israel, e isso não era nada favorável…

Essa descrição aproxima homens que sofreram a perda de entes queridos e amigos, e ainda foram lançados em uma situação de solidez, agravada pela doença.

Ele, porém, reconhece que tal circunstância viu à tom devido aos pecados de seu povo, ou que provocou a indignação de Deus, que interveio, usando uma vara de Sua justiça.

O versículo 14 reforça o fato de que se trata de dois judeus que foram alcançados durante a destruição de Jerusalém (c. 586 aC), e o versículo 13 nos levou a pensar que eles já estariam encerrando aqueles setenta anos de estado vago de destruição. Aquela cidade que eles era um maxima, o marco da Presença de Deus no meio de seu povo.

Foi então que o Senhor teria de intervir novamente na história, e dar uma reviravolta na situação de desespero e abandono em que caiu o salmista.

O autor deste salmo foi um homem solitário, como um pelicano que não desertou, ou uma ave marinha fora de seu habitat preferido, ou uma coruja que vivia nas ruínas de casas destruídas, ou um passarinho que, no telhado de um daquelas casas, solte um chiado de lamentação (versos 6 e 7) – mas ele sabia muito bem que ou o Senhor Yaweh não iria ignorar ou ser breve e seus pedidos.

Quantos lobos solitários não gostam de viver em suas orações a Deus? Pois Deus conhece o coração de cada um deles.

Não tente entender a onisciência de Deus.

Sobre cada criatura Ele dirige Seus raios X, para que pudesse descobrir toda a estrutura do ser criado, como se não houvesse outra pessoa para observar, como Ele tivesse delineado tudo ou o resto do Universo que Ele fez, parei-eu saber tudo ou o tempo que julgar necessário para ajudá-lo.

O tempo todo Ele vê uma alma aflita, dedicando-lhe atenção especial, inclina-se de sua morada celestial para focalizar uma luz que a alcança, e a visualiza de todos os ângulos, do alto da cabeça para plantar dois pés; Percebe na medida da dor, por causa da tristeza, e já está desenvolvendo um plano de assistência, como também um remédio eficaz para tratar feridas, compensar decepções e expulsar qualquer estado de aflição que o tenha agredido.

Seja o salmista, como qualquer um de nós, não há ninguém neste mundo que possa ou queira consolá-lo, ele tem, como cada um de nós, a possibilidade de elevar suas súplicas ao Único e Verdadeiro Deus (versículo 24).

Assim que se chama Senhor, vemos na memória ou fato que Ele é poderoso, pois como Seu poder criou a Terra e os Céus (verso 26), que aliás um dia perecerá, mais como Deus e imutável e eterno, os filhos dos Servos serão estabelecidos, como sua descendência (versículo 28).

E o Senhor nos pede uma coisa muito importante, que jamais teremos que esquecer: tenhamos fé em Deus, acima de tudo, para que isso aconteça.

Não vos perturbeis nem vosso coração; acredite em Deus, acredite também em Mim; Na casa do meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim Eu vo-lo teria dito; você prepara-você coloca.” (Palavras de Jesus, ou Cristo, em João 14:1, 2)

Crer, somente crer, é o princípio básico para poder agradar a Deus. Sem fe é impossível agradar a Deus (Hebreus 11:6). Precisamos antes de tudo, acreditarei que Ele existe, e mais: que recompensa os anos que buscamos.

A fé é condição sine qua non para que um piloto dirija um avião para a pista de pouso, para poder decolar e subir às alturas. É a face decolagem da pista ou tipo de personagem infalível e imutável de Deus, ea Sua Palavra é ou que autoriza e conduz o navio para que o prático avance e pare ou pare.

Jesus nos guiou a crer e pedir com fé, ao Pai, em Seu nome. Ou nome de Jesus caso só possamos…

Usemos, bem, o nome de Jesus, um nome tão poderoso, para enfrentar pela fé os desafios que enfrentamos – mas não ignoramos que há coisas importantes e coisas que não são tão importantes para Deus.

Pecamos com fé para que Jesus venha e tenha um retorno total em nossas vidas, pois este é o início de uma jornada cristã, que culminará na direção do Céu, na Casa de Deus Pai.

Disse Jesus: – “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida; nunca vemos Pai senão para Mim.” (João 14:6)


Comentarios desactivados en SALMOS – CII – PETIÇÃO AO SUPREMO

Sorry, comments are closed.

Asesorado por:
Asesoramiento Web

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho

    Archivos